11 dezembro 2005

Vibrações

Era a mesma música
a mesma música insistindo em se fazer ouvir
e nossos corpos ficavam livres de nós
livres de nossas mãos
livres de nossos encontros
e eu corria pra ver o sol nascer de novo
mas sabia que você era igual a mim
e também continuava me perguntando o por que de tudo aquilo

Era a mesma intuição
a mesma sensação de estar escrevendo com você ao meu lado
esperando um sinal,
fazendo promessas e esperando que o sinal abrisse a chance de mudar tudo
como quando criança, esperando que um carro azul passasse
que a luz piscasse, que o telefone tocasse
mas sabia que você sentia o mesmo que eu
e também continuava se perguntando o por que de tudo aquilo

Era a mesma paixão
a mesma fogueira consumindo cada migalha da minha consciência
e eu buscando lutar
lutar contra tudo e todos só pra entender que no fim...
só pra entender que no fim minha emoção era eu
e minha razão todas as fantasias que eu criei
todas as nostalgias que eu sangrei, todas as alegrias que eu nem sei,
nem usei, nem vivi, nem fechei nem abri

Mas acordei com a sensação de ter um grande lago à frente da minha janela
com patos barulhentos acordando a lua
com toda a minha infância a encostar na tua
com toda a semelhança que aprendi ser sua
e eu deixei parte de mim
só pra poder voltar mais uma vez
só pra poder pensar em não ter mais talvez
só pra poder me achar e te perder de vez?

Era a mesma noite
eu continuava escrevendo mas agora só
certo de que aquelas vibrações encerravam seus sinos
de igrejas distantes a te chamar
de aldeias estranhas, do além mar
de caminhos abertos sem mais chorar
de olhos cobertos pra não me olhar

Era a mesma pessoa
mas agora livre pra caminhar
mas agora solta pra recomeçar
mas agora envolta, agora absorta
agora inteira pra prosseguir
agora atenta pra não mais cair

Era o mesmo chão
era a mesma casa
era o mesmo país
eram as mesmas promessas
eram os mesmos olhares
era o mesmo perfume
era o mesmo desejo
era o mesmo dia
era tudo igual
Só eu não estava mais lá...

Corre pra vida, corre logo.

10/09/2005

Um comentário:

raphaela disse...

meu preferido..
mas essas palavras me tocam de uma maneira que eu nem sei,
obrigada.