11 dezembro 2005

A escolha


Mais um dia surgindo pela frente
luz, barulho, agitação
Minha cabeça começa a girar
a vida encosta em mim e começa a me empurrar
Como uma parede que se move e nos leva adiante
independente do que possamos querer
Sempre em frente, não há como parar
onde estou?
pra onde vou?
como vim parar aqui?
quando comecei?
quando me perdi?

Tornei-me personagem de uma história que não é minha
estou fechado pra o que quer que a vida me ofereça
como um rádio que perdeu sua frequência
como um sonho que perdeu sua sequência.

28/10/2005

Um comentário:

Marília disse...

Quando se perdeu ?
Já nascemos pedidos,(sim ! todos nós), como sonhos que esquecemos antes mesmo de lembrarmos...