11 dezembro 2005

Num beco


No dia em que a paz chegar
minha caneta repousará
Estarei morto pra essa estrada em branco
e começarei a viver a vida
Anestesiado por me sentir completo
Amainado por me livrar do incerto

Enquanto essa viga me corta as visceras
continuarei sangrando essa estrada em azul
sangro o teu cio em mim e me sinto nu
sangro o que vaza em meu leito e me faz rarefeito
sangro o que não tenho mais...pois perdi o respeito
Grito!!!!
Grito!!!
Grito!!! Por meus defeitos
E sou o que se pode esperar de mais humano e patético
de mais mundano e apoplectico
de mais profano e morfético
"um lixo, um rato, um covarde"(W) .

22/09/2005

2 comentários:

lfa tai chi blog disse...

Hi, I liked your blog its my first time here! If you are interested, go see my Tai Chi related site. Its purley for peoples health.

All the best John

Abel disse...

késsa merda?! uhm?!? ratos enclausurados e kê? O bicho fez-te algum mal???