11 dezembro 2005

Desencanto radical



Deus está morto e eu me sinto bem.

Sou livre, mas não digo amém.

Tudo é tão confuso...

Eu me sinto um intruso
nos sonhos e seus campos magnéticos,
na realidade e seus becos tétricos,
no mundo e seu potencial bélico,
perseguindo rotas de fuga em velocidade
com a bússula apontada para a insanidade.

Vivos e mortos: estou distante de todos!

Melhor estar à parte do que ser parte!

Entre os homens sou menos humano,
sobre-humano
desumano,
inumano,
animal,
bípede irracional.

O espelho está partido, mas já me vi não sei aonde.

Solitário na multidão,
procuro quem me encontre

em algum lugar, ao longe.

1990/2005

2 comentários:

Marília disse...

Gosto desse raciocínio solto, confuso... real. Apenas deixar-se pensar sem medo de não chegar a nada. Se perder em pensamentos insanos ...
Como você mesmo disse : "Melhor estar à parte do que ser parte!"

Marília disse...

Melhor estar, mas não estamos...