11 setembro 2005

Instrospecção


Bombas explodem
sobre a minha cabeça;
quero me ver a sós,
quero me ater a você.

Sombras me calam no escuro,
mudo eu procuro encontrar
algo que eu tanto persigo
e que só eu posso tentar.

Sem ter que te ver,
eu vou me encontrar em mim;
não sei o lugar,
mas vou procurar até me achar.

Sempre me encontro sozinho,
sempre procuro ser mais
do que talvez eu me julgue,
do que eles pensam que eu seja.

Meço a grandeza do espaço
e sinto caber em alguém;
quero só ter a mim mesmo,
quero não ser mais ninguém.

1989

Um comentário:

Marília disse...

Ahh... Introspecção !
A pior das lutas é contra nós mesmos.
E se perder é sempre o caminho mais fácil.

O que procuramos mesmo ?