03 julho 2008

À deriva


Conduzido a chicote pelos caminhos da vida, construi o labirinto onde me perdi de mim. Sei o meu lugar, mas não me encontro nele. Pregador da renúncia, não me desapego. Narciso cego, amo a máscara. Afogado nas minhas verdades, não posso resgatá-las das profundezas. Então eu lavo as mãos, rio dos meus conflitos e sigo à deriva nesse "grande mar que cerca a ilha de náufragos que é a vida".

12 comentários:

Anônimo disse...

Brilhante merrmao.
Inspirador!!!!

Rafael J. Albuquerque disse...

Primeira vez que comento aqui para mostrar minha satisfação ao sentir o que leio, mas já leio há algum tempo, sempre que posso. Tudo muito bom. Gostaria de saber apenas onde consegue essas fotos, se puder me dizer, é claro. Até mais.

Rafael J. Albuquerque disse...

Gostaria também de saber se posso "linká-lo" no meu blog.

Anônimo disse...

O dia em que a dor dos traficantes tiver solução esse blog para. O combustível é a dor, passada ou presente que os autores cultivam.

Seria a dor uma ilusão?

Estarão os traficantes iludidos?

Flávia disse...



Sou fã de carteirinha.
Parabéns pelos textos, são inteligentes, bem escritos e profundos.
bjos

Anônimo disse...

Creio que não é a dor que os move, é consciência pesada.

Fátima Cardoso disse...

Passei para visitar e mais uma vez não saberia dizer qual texto me encanta mais... Não poderia deixar de comentar e parabeniza-los!!!Bjsss

Anônimo disse...

deve ter sido escrito com chicote...

Lua Heim disse...

Escrever é sempre o modo de quem tem a palavra como isca: a palavra
pescando o que não é palavra. Quando essa não palavra – a entrelinha – morde a isca, alguma coisa se escreveu. Uma vez que se pescou a entrelinha, poder-se-ia com alívio jogar a palavra fora. Mas aí cessa a analogia: a não-palavra, ao morder a isca, incorporou-a. O que salva
então é escrever distraidamente...

"Sobre A lei do Santo, de Muniz Sodré".

Magníficas palavras de Muniz! Sugiro aos meus poetas...
beijo grande
lua

Anônimo disse...

Isso não é poesia, é uma pílula de derpessão.

Angela Nespoli disse...

Bom...Agora é 5769... E aí, ja se encontrou? Tem dormido pelo menos?
Há beleza nos dias cinzentos!!!
Chag Sameach...
Angela Nespoli
www.angelanespoli.com

A vida é feita de escolhas disse...

Se na deriva houver uma flor entre as pedras, salvo está o caminho.
Parabéns amigo.
Seu texto é lindo.
Abraço