18 novembro 2007

A morte nossa de cada dia


Fui ao meu enterro hoje
Alias...entendi como tenho morrido todos os dias.
Fitei um caixão, com a certeza de que parte de mim estava encerrada,
enterrada pra todo o sempre.

Não falo com tanta tristeza,
mas com toda a impotência que senti ao descer com aquele caixão.
Achava que a vida estava dentro de mim,
mas entendi que esteve em cada interação que vivi.
Achava que a vida estava cercada na ilha que somos, cada um de nós,
e mais uma vez, entendo que está e esteve em cada nós que vivemos a cada dia.

Falta poesia pra expressar esse sentimento,
falta emoção pra exagerar esse pensamento,
falta intensidade pra gravar esse momento.

Não consegui entender meu amigo dentro daquela estante de madeira
não consegui medir a tristeza daquele momento.
No meu egoísmo...só pensei no quanto eu deixei de viver aquela potencialidade,
no quanto eu deixo de trocar, de interagir com pessoas que me dizem.

O que é a vida senão viver?
O que é a morte?

Penso no que eu mesmo tanto digo...
"a vida é o que acontece com você enquanto está ocupado fazendo outros planos" (JLennon)
"mesmo um relógio quebrado está certo duas vezes por dia"

Afinal, não importa aonde estamos ou o que estamos fazendo,
estamos em algum lugar,
estamos em algum momento,
e é nesse preciso momento que a nossa vida está acontecendo.
Portanto, a arte da vida está em fazer desse momento um momento de vida.

Tem tantas pessoas com quem eu poderia viver tanto...
Tenho tantas chances de criar uma vida significativa...
e cada momento não vivido é um momento "morrido"

A vida poderia ser levada à uma nova dimensão.
Uma dimensão de alegria, de troca, de vida.
Gostaria de pedir desculpas a todas as pessoas com quem morri
Gostaria de tentar entender porque eu nao vivi quando eu pude
Gostaria de voltar àquele cemitério pra me resgatar...

Hoje eu entendo que parte importante da minha vida já foi enterrada.
E me surpreendo de não ter tido a dimensão de entender
o quanto de mim era sepultado em cada uma daquelas cerimônias...
partes importantes de uma história que ficaram sem fim
partes de uma potencialidade de troca que agora fogem à minha capacidade de vivenciar.

Me pergunto então o quanto deixei de viver,
o quanto deixei de brincar, de rir, de chorar, de tocar...de trocar.
Minha capacidade de vida está ligada à minha capacidade de interação.
E agora que pessoas se foram, vejo o quanto meu mundo encolheu.

Não meço meus dias pela quantidade de horas
mas pela intensidade das trocas.
Sou tão extenso quanto consigo me dar.
Sou tão intenso quanto consigo tocar.
Sou tão imenso.

O mundo tem medo de si
as pessoas se contraem
Como dizia Wilde, parecem mendigos...esfomeados
Vivas aos que tem coragem, aos que trocam...aos que vivem.
Pois a troca é a única forma de contato, o único meio de entendermos
de sermos, de nos plastificarmos.

A cada vez que volto ao cemitério sinto uma estranha sensação de "casa"
de saber que tanto de mim já foi lá imortalizado...ou finalizado.

Novas portas se abrem a cada dia.
Novas chances de comunicar, de trocar, de viver.
Começo a entender algo que me assusta.
Começo a mudar meu conceito de existência.
Entro em metamorfose.

10 comentários:

Mariene disse...

Meu caro,
Quando você enterrou-se, enterrou junto o sentido de sua vida.
A falta de sentido você não vai conseguir resgatar a não ser quando for capaz de acreditar com paixão em algo. Não precisa ser o amor, apesar do amor se prestar muito bem a esse papel... Pode ser uma idéia, um trabalho, algo que... Preencha-te.
Antes, você acreditava. Volte a acreditar! Sei que não é fácil, mas é possível. Sabe por que falta poesia, emoção, intensidade? Por que falta paixão. A paixão que mora ai no seu peito e que você sufocou e isso o matou. Reacenda a chama!
A vida não vivida é a morte. E viver não é apenas existir, viver é poder preencher cada segundo do dia com a sensação de que estamos no caminho certo, de que a vida faz sentido, que nossas escolhas fazem sentido.
Mas as escolhas tem conseqüências. Se quando você fez suas escolhas, (de não viver tudo o que você tinha para viver), por que sua mente estava preocupada com coisas que pareciam mais importantes, aprenda com o passado e solte sua verdade enquanto há tempo. Doe-se. Abra seu coração e receba nele os presentes que a vida te dá. Não seja um eterno exilado fora da casa demolida. Construa sua nova casa, dê a ela sentido acreditando que é possível encontrar-se lá. As relações não são provisórias. Não se você acreditar nelas.
Acredite!
Que essa seja parte da sua metamorfose!

Luciana disse...

Gostei muito do seu blog!

Anônimo disse...

"Não meço meus dias pela quantidade de horas
mas pela intensidade das trocas.
Sou tão extenso quanto consigo me dar.
Sou tão intenso quanto consigo tocar.
Sou tão imenso"

Sorte a minha!

Amo vcs dois!

EXIGO MAIS TEXTOS AQUI!!!!!

Anônimo disse...

o que esse verso de luto tá fazendo aqui??

mariene disse...

Eu exiJO uma aula de ortografia para quem escreveu exigo!
ahhahahahha...

Lua Heim disse...

"Ao ovo dedico a nação chinesa.

O ovo é uma coisa suspensa. Nunca pousou. Quando pousa, não foi ele quem pousou. Foi uma coisa que ficou embaixo do ovo. – Olho o ovo na cozinha com atenção superficial para não quebrá-lo. Tomo o maior cuidado de não entendê-lo. Sendo impossível entendê-lo, sei que se eu o entender é porque estou errando. Entender é a prova do erro. Entendê-lo não é o modo de vê-lo. – Jamais pensar no ovo é um modo de tê-lo visto. – Será que sei do ovo? É quase certo que sei. Assim: existo, logo sei. – O que eu não sei do ovo é o que realmente importa. O que eu não sei do ovo me dá o ovo propriamente dito. – A Lua é habitada por ovos.

O ovo é uma exteriorização. Ter uma casca é dar-se.- O ovo desnuda a cozinha. Faz da mesa um plano inclinado. O ovo expõe. – Quem se aprofunda num ovo, quem vê mais do que a superfície do ovo, está querendo outra coisa: está com fome."
Clarisse Lispector

Amo vcs (dentro ou fora da casca)

Ana Luiza disse...

E POR FALAR EM FITAS... FITEI ALGO?

***LéoziM

SEI QUE APRENDI COM VC 1 DOS SIGNIFICADOS DE 1 SIMPLES ABRAÇO...
FELIZiM AINDA É MEU ESTILO DE SER! *** mais aprendi, em tÃO pouco temopo, muitas coisas!!!
O melhor foi saber que o abraço, jamais passará despercebido por mim, após... tomar todo o conhecimento desta simples ? > fita... rsrs OU gesto..
Palavra é muito + q 1 palavrinha....
E ae já passou, ainda sou sua Amiga>>> ok!! desculpas!! Sinto muito, sempre soube que estava errada!!! e isso dói, vc tem razão, qndo passar avise!!!

***ABRAÇOS

MEU DEUS! COMO É ENGRAÇADO!
EU NUNCA TINHA REPARADO COMO É CURIOSO UM LAÇO... UMA FITA DANDO VOLTAS.
ENROSCA-SE, MAS NÃO SE EMBOLA, VIRA, REVIRA, CIRCULA E PRONTO: ESTÁ DADO O LAÇO.
É ASSIM QUE É O ABRAÇO: CORAÇÃO COM CORAÇÃO, TUDO ISSO CERCADO DE BRAÇO.
É ASSIM QUE É O LAÇO: UM ABRAÇO NO PRESENTE, NO CABELO, NO VESTIDO, EM QUALQUER COISA ONDE O FAÇO.
E QUANDO PUXO UMA PONTA, O QUE É QUE ACONTECE? VAI ESCORREGANDO...DEVAGARZINHO, DESMANCHA, DESFAZ O ABRAÇO.
SOLTA O PRESENTE, O CABELO, FICA SOLTO NO VESTIDO.
E, NA FITA, QUE CURIOSO, NÃO FALTOU NEM UM PEDAÇO.
AH! ENTÃO, É ASSIM O AMOR, A AMIZADE.
TUDO QUE É SENTIMENTO. COMO UM PEDAÇO DE FITA.
ENROSCA, SEGURA UM POUQUINHO, MAS PODE SE DESFAZER A QUALQUER HORA,
DEIXANDO LIVRE AS DUAS BANDAS DO LAÇO.
POR ISSO É QUE SE DIZ: LAÇO AFETIVO, LAÇO DE AMIZADE.
E QUANDO ALGUÉM BRIGA, ENTÃO SE DIZ: ROMPERAM-SE OS LAÇOS.
E SAEM AS DUAS PARTES, IGUAL MEUS PEDAÇOS DE FITA, SEM PERDER NENHUM PEDAÇO.
ENTÃO O AMOR E A AMIZADE
SÃO ISSO...
NÃO PRENDEM, NÃO ESCRAVIZAM, NÃO APERTAM, NÃO SUFOCAM.
PORQUE QUANDO VIRA NÓ, JÁ DEIXOU DE SER UM LAÇO!

(MÁRIO QUINTANA)

Beijins

Titinha disse...

Tudo que cessa é morte, e a morte é nossa
Se é para nós que cessa. Aquele arbusto
Fenece, e vai com ele
Parte da minha vida.

Em tudo quanto olhei fiquei em parte.
Com tudo quanto vi, se passa, passo,
Nem distingue a memória
Do que vi do que fui.

Fernando Pessoa

Anônimo disse...

Léo
passando por aqui mais uma vez, para enriquecer minha alma...rs
bjo gde

Fátima Cardoso disse...

A última "anônima" aí, sou eu...rsrs
bjssss